O Data Center do futuro – Uma realidade na Equinix

SOMOS A ÚNICA EMPRESA GLOBAL COM MAIS DE 200 DATA CENTERS EM TODO O MUNDO.

A crescente digitalização dos processos negociais está a mudar significativamente o modo como as empresas utilizam os centros de dados – que assumem, cada vez mais, o papel de melhor aliado do mundo empresarial. Por isso, os fornecedores de serviços de data center enfrentam o enorme desafio de terem de criar e propor soluções novas e eficientes, que auxiliem os seus clientes a incorporar as novas tecnologias nos seus processos. É aqui que se insere a Equinix, como ponto de contacto entre as empresas e as tendências tecnológicas. As empresas procuram chegar a cada vez mais mercados, operando muitas vezes a partir de um único local, recorrendo a conexões rápidas, seguras e contínuas com os seus clientes, colaboradores e parceiros. O data center de última geração, interligado a uma plataforma global – longe já do conceito de simples infraestrutura de armazenamento de dados – permite endereçar este objetivo, tirando todo o partido do poder interconexão. A Equinix, que está em crescimento contínuo, possui uma plataforma de 200 data centers interconectados, em 52 mercados e 5 continentes. Estar próximo do cliente é, pois, a palavra-chave da interconexão. A criação de novos data center em novas áreas metropolitanas responde à necessidade de armazenar, processar e analisar informações próximo do local onde os dados são obtidos. Isto constitui um imperativo quando se adotam tecnologias como a Internet of Things, que requer tempos de resposta quase imediatos. O mesmo se passa com outras tecnologias emergentes, como, por exemplo, a Inteligência Artificial, o Big Data e o Machine Learning, que estão a provocar um impacto tremendo na nossa forma de operar. Todas estas tecnologias têm um denominador comum: os dados. Dados esses que requerem maior capacidade de tráfego, armazenamento, processamento e análise, exigindo tempos de resposta mais curtos, conexões ininterruptas e maior proximidade entre o centro de processamento de dados e as principais áreas de atividade económica. Temos vindo a preparar a nossa plataforma para ser o local onde as empresas podem aproveitar plenamente as tecnologias disruptivas. A Equinix possui uma rede global de data centers interligados, que permitem um tráfego rápido, seguro e de baixa latência entre as principais áreas metropolitanas. É também por determos infraestruturas localizadas nos principais mercados, que permitimos que as informações aí obtidas cumpram as regulamentações de soberania local de dados, como o GDPR europeu.

Armazenamento local e na Cloud

As empresas precisam de modelos flexíveis de armazenamento e processamento de dados, para se poderem adaptar às necessidades variáveis ​​dos seus modelos de negócio e dos seus clientes. Felizmente, já não é preciso escolher entre infraestrutura local e Cloud, seja esta privada ou pública, pois existem serviços que combinam os dois mundos de maneira eficiente e segura.

A este respeito, oferecemos várias alternativas. Recorrendo aos nossos data center IBX (Internet Business Exchange), as empresas podem hospedar os seus dados fisicamente, na sua nuvem privada, ou conectar-se aos principais provedores de serviços Cloud do mercado, como o Google Cloud Platform, Microsoft Azure e Amazon Web Services, entre outros. Apostamos num modelo híbrido e multicloud, para que as empresas possam escalar os seus negócios, operar efetivamente em múltiplos cenários, reduzir custos e proteger eficazmente os seus dados.

Portugal na rota da interconexão global

Portugal pretende tornar-se uma porta de entrada digital para o Atlântico. A sua localização é perfeita para conectar a Europa com a América do Norte, desbloqueando as rotas de dados entre os Estados Unidos e o norte da Europa e com a América Latina e África, dois continentes que certamente desempenharão um papel essencial na economia digital global e que partilham fortes laços culturais e linguísticos com Portugal.

Vários sistemas de cabos submarinos estão a chegar à Península Ibérica, e às costas portuguesas, alterando as rotas habituais entre os Estados Unidos e a Europa e prometendo transformar a Ibéria num centro internacional de conectividade. O mais relevante no momento é o EllaLink, criado pelos governos do Brasil, Portugal e Espanha, que visa interligar uma série de cidades brasileiras com a Madeira, as Ilhas Canárias, Cabo Verde e a Península Ibérica. Em princípio, começará a operar a partir de 2018-2019 como alternativa às rotas de dados com os Estados Unidos. A maior parte do investimento vem do provedor de telecomunicações brasileiro Telebras e da empresa espanhola IslaLink, embora a Comissão Europeia (CE) invista cerca de 25 milhões de euros através do plano Building Europe Link para a América Latina (BELLA). O cabo de 9.400 km entre Praia Grande (Brasil) e Sines (Portugal) oferece uma capacidade de 48 Tb/s.

Outro projeto interessante é o BREXIT-1, uma nova rota transatlântica e alternativa ao Reino Unido, que pretende unir os Estados Unidos à Europa através de Sesimbra. Nesta mesma cidade há também um nó do SeaMeWe-3, o cabo de telecomunicações submarino ótico mais longo do mundo, com 39.000 quilómetros de extensão, ligando o Sudeste Asiático, o Oriente Médio e a Europa Ocidental.

A conectividade com África passa igualmente por Portugal. Por exemplo, o projeto Main One liga Portugal à África do Sul através de várias conexões em diferentes países africanos. Além disso, o cabo de comunicações submarino ACE (Costa Africana para a Europa), que liga a França e a África do Sul através da costa oeste africana, também tem um nó em Carcavelos (Lisboa). E, em Sesimbra, existe também uma ligação ao WACS (Sistema de Cabo da África Ocidental), que liga a África do Sul e o Reino Unido.

A Equinix em Portugal está preparada para acolher todos estes projetos de cabos submarinos. O nosso centro de dados em Lisboa foi totalmente projetado para aumentar o volume de informações que estamos a receber de diferentes partes do mundo. A partir de Lisboa, fornecemos o acesso direto a cabos submarinos como o WACS (Sistema de Cablagem da África Ocidental), ACE (Costa Africana da Europa), Tata Global Network e Main One, entre outros. O nosso data center de Lisboa mostra-se, assim, ideal para as empresas que querem fazer uso destes novos projetos de cabos submarinos de uma forma eficiente e simples.

A EQUINIX É UMA EMPRESA COM UM FORTE CRESCIMENTO, MUITO CAPACITADA EM TERMOS DE RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS.
A Equinix

A Equinix  – empresa pertencente à Equinix, Inc. – gere centros de dados, plataformas e serviços profissionais em Portugal e Espanha. Detentora da maior plataforma de data centers neutros da Península Ibérica, a Equinix fornece serviços de interconexão nos seus 5 data centers, localizados em Lisboa, Madrid (x2), Barcelona e Sevilha, assegurando também o acesso dos seus clientes aos principais provedores de telecomunicações, pontos de intercâmbio de tráfego de Internet e provedores de serviços Cloud, sendo igualmente uma porta de entrada para as principais rotas de fibra ótica terrestre e submarina. Mais informação em https://www.equinix.pt

A empresa em números
  • 5 centros de dados em 4 áreas metropolitanas: Lisboa, Madrid (x2), Barcelona e Sevilha
  • 400 clientes em Espanha e Portugal
  • 100 empresas de rede e mobilidade
  • 90 provedores de serviços de TI e Cloud (incluindo AWS, Microsoft Azure e Google Cloud) 
banners_fotos_redondas_publireportagens-35

Carlos Paulino | Managing Director, Equinix Portugal

banners_fotos_redondas_publireportagens-35

Carlos Paulino | Managing Director, Equinix Portugal

Carlos Paulino é o Managing Director para Portugal e juntou-se à Equinix em 2017 aquando da aquisição da Itconic. Tendo-se juntado à Itconic em 2000 esteve fortemente envolvido no desenvolvimento da empresa e do negócio, desempenhou várias funções e tornou-se membro da Administração em 2010. Através da sua liderança Portugal dispõe ao dia de hoje de um dos data centers mais interconectados da Costa Oeste Europeia. Com mais de 25 anos de experiência no sector de telecomunicações e tecnologia, desempenhou posícões de liderança tanto em Product Development como em Customer Service quando trabalhou para a Maxitel alcançando excelentes resultados e reconhecimento por parte da indústria. No inicío da sua carreira foi CTO da Madem, uma startup de telecomunicações. Conta com um M.B.A da IESE/ AESE Business School, licenciatura em Engenharia Eletrotécnica no ISEL e licenciatura e pós-grad. em Gestão de  Informação pela Universidade Nova de Lisboa.