Digital Transformation Company (DXC)

MANUEL MARIA CORREIA | DIRECTOR GERAL, DXC TECHNOLOGY PORTUGAL
DURANTE O PRÓXIMO ANO, MANTEMOS A AMBIÇÃO DE CONTINUAR O CRESCIMENTO SUSTENTADO EM TODOS OS NOSSOS INDICADORES E, COMO NÃO PODIA DEIXAR DE SER EM QUALQUER EMPRESA COTADA, TRAZER O RETORNO ESPERADO PELOS NOSSOS ACCIONISTAS.
Captura de ecrã 2018-10-11, às 05.03.04

MANUEL MARIA CORREIA | DIRECTOR GERAL, DXC TECHNOLOGY PORTUGAL

banner_aspas_azuis
DURANTE O PRÓXIMO ANO, MANTEMOS A AMBIÇÃO DE CONTINUAR O CRESCIMENTO SUSTENTADO EM TODOS OS NOSSOS INDICADORES E, COMO NÃO PODIA DEIXAR DE SER EM QUALQUER EMPRESA COTADA, TRAZER O RETORNO ESPERADO PELOS NOSSOS ACCIONISTAS.

A DXC tem hoje pouco mais de um ano e meio. Temos feito um caminho incrível na criação da nova empresa, que tem passado por um processo grande de transformação e de consolidação no mercado.

Durante o último ano, consolidámos processos, integrámos equipas multi-disciplinares, redefinimos o portfólio e as parcerias estratégicas, desenhámos uma nova estratégia de cobertura de mercado, criámos uma nova marca, redefinimos os nossos modelos de sourcing, contratamos imensas pessoas e fizemos o reskilling de muitas outras.

No meio de tudo isto, atingimos todos os objectivos de negócio a que nos propusemos. Crescemos a operação em facturação acima dos dois dígitos, crescemos na mesma medida a rentabilidade e, da mesma forma, o número de pessoas que colaboram com a DXC.

Desse ponto de vista não podia ter sido melhor. O feedback que fomos recebendo dos nossos clientes desde o primeiro dia foi muito motivador e guiou-nos neste caminho de sucesso. Fomos reconstruindo a confiança que uma nova marca acarreta, e os clientes foram-nos adjudicando projectos que materializavam essa confiança. O ano culminou com a DXC a ganhar no mercado em Portugal o maior contrato de Outsourcing na área de Gestão de Infraestruturas de Sistemas Distribuídos. Para uma empresa que tem pouco mais de um ano, não podemos senão estar muito orgulhosos deste caminho.

O trabalho que temos feito com as nossas pessoas, também tem sido chave para o sucesso. Iniciámos vários programas de certificação e de formação em novas áreas, sejam elas de Cloud (AWS, Azure) ou em novas áreas de SAP, ServiceNow, Analytics, Segurança, só para referir as mais genéricas.

Fomos também galardoados com o selo “TopEmployer” pelo TopEmployer Institute, tanto para Portugal, como para o Sul da Europa. Isto garante que a DXC, é líder nas práticas de Recursos Humanos e trabalha no sentido de criar um ambiente de trabalho atractivo e de grande qualidade para os nossos colaboradores.

De referir também que, pela evolução do negócio vamos acabar o ano com quatro localizações, depois de, logo no início da operação termos sofrido uma consolidação. Assim, a nossa sede principal seguirá na Quinta da Fonte – Paço de Arcos, mantemos o centro operacional de Évora (onde temos também uma infra-estrutura de Datacentre), adquirimos a LogicalisSMC, que detém um centro no Fundão com cerca de 30 profissionais certificados em ServiceNow e, estamos a abrir um centro de BPS (Business Process Services) para serviços financeiros no centro de Lisboa.

É muito provável que este crescimento faça com que o número de colaboradores volte a crescer acima dos dois dígitos e ultrapasse os 500 colaboradores antes do final do ano 2018. Isso significaria que a nossa capacidade duplica em menos de 2 anos.

Apesar das boas notícias, temos a noção da dificuldade que é operar num mercado como o Português, em que a concorrência é imensa, os volumes de negócio são baixos quando comparados com outros países da Europa (nomeadamente os mais próximos – Espanha, Itália, França, UK). Só com pessoas de muita qualidade e um grande foco no cliente, é possível tornar a operação rentável.

Por isso, vamos continuar a trabalhar para merecer a confiança dos clientes, e fazer com que a marca DXC passe a ser incontornável no mercado de IT e da Transformação Digital. Na nossa base instalada isso já vai sendo um facto, mas ainda temos um longo caminho a percorrer para criar essa confiança em partes do mercado endereçável onde ainda não temos presença.

Durante o próximo ano, mantemos a ambição de continuar o crescimento sustentado em todos os nossos indicadores e, como não podia deixar de ser em qualquer empresa cotada, trazer o retorno esperado pelos nossos accionistas.

Em termos tecnológicos, vamos continuar a apostar em desenvolver competências nos temas relacionados com a transformação digital. Das muitas áreas que estamos a desenvolver, destacaria quatro em que queremos ser reconhecidos como players/líderes de mercado:

Cloud: todo o histórico e experiência que trazemos de muitos anos a gerir infraestruturas de TI em datacentres está num processo de transformação acelerado para as novas soluções de Cloud, nomeadamente Microsoft Azure, Amazon Web Services e Google Cloud. A DXC é o parceiro no mercado mais credenciado para fazer esta transformação, não só pelo footprint que tem, como pela competência que tem adquirido em todo o mundo a fazer projectos de transformação.

ServiceNow: A DXC é o maior parceiro mundial da ServiceNow, quer seja em número de recursos certificados, quer em referências de projectos de transformação. Em Portugal temos um centro de competências desta tecnologia que nos permite alavancar no mercado e colocar ao serviço dos nossos clientes. Queremos ser o maior player nesta área, em Portugal.

Security/Cybersecurity: Depois de muitos anos a gerir contratos de outsourcing em que a segurança era apenas mais uma “torre de serviço”, a DXC criou uma oferta de Mercado que inclui colocar à disposição dos nossos clientes os 10 SOC’s a nível mundial, os mais de 5.000 profissionais (técnicos e consultores) relacionados com segurança e, mais importante, as nossas equipas locais com know-how específico, para os poder ajudar neste tópico tão critico

Analytics / Machine Learning: Esta é uma aposta que estamos também a fazer, seja na eficiência de processos de BPS, através da robotização/automação, seja com projectos relacionados com Big Data. Criámos uma equipa local que executa projectos nesta área, baseado no conhecimento que fomos adquirindo em todo o mundo, nos mais diversos sectores e mercados.

A viagem da criação da DXC tem sido muito compensadora. Sabemos que estamos no bom caminho, mas temos os pés bem assentes na terra, pois temos claro os desafios que enfrentamos. O que podem esperar de nós é uma empresa com uma cultura de abertura, proximidade e flexibilidade, onde as pessoas gostam de trabalhar e em quem os clientes confiam. Parece simples, mas dá muito trabalho. A DXC tem como responsabilidade ser um catalisador da Transformação Digital nas grandes empresas em Portugal e não vai, em caso algum, refutar esse papel. Contem connosco!

banners_fotos_redondas_publireportagens-33

MANUEL MARIA CORREIA | DIRETOR GERAL, DXC TECHNOLOGY PORTUGAL

banners_fotos_redondas_publireportagens-33

MANUEL MARIA CORREIA | DIRETOR GERAL, DXC TECHNOLOGY PORTUGAL

É diretor geral da DXC Technology Portugal, função que assume em Portugal desde abril de 2017.Antes de ocupar esta posição, Manuel Maria desempenhou o cargo de diretor geral da unidade Enterprise Services na Hewlett Packard Enterprise em Portugal, função que desempenhou durante 4 anos. Paralelamente foi responsável pela indústria de Energy & Utilities em Portugal e Espanha, liderando uma equipa centrada no desenvolvimento de negócio e na gestão dos clientes.Entrou para a HP Portugal em setembro de 2004, onde começou como Services Sales Manager, tornando-se mais tarde líder

da equipa de vendas das Contas Corporativas e Sector Público no grupo da computação pessoal, tendo sido posteriormente nomeado Country Manager dessa unidade.Trabalha há mais de 20 anos na indústria de TI. No início da sua carreira desempenhou várias funções de consultoria, vendas e consolidou posições de gestão em multinacionais como a IBM, HP, HPE e agora, na nova DXC Technology. É Licenciado em Engenharia Informática e de Computadores pela Universidade Técnica de Lisboa e tem uma Pós-graduação em Gestão (MBA & Marketing).

É diretor geral da DXC Technology Portugal, função que assume em Portugal desde abril de 2017.Antes de ocupar esta posição, Manuel Maria desempenhou o cargo de diretor geral da unidade Enterprise Services na Hewlett Packard Enterprise em Portugal, função que desempenhou durante 4 anos. Paralelamente foi responsável pela indústria de Energy & Utilities em Portugal e Espanha, liderando uma equipa centrada no desenvolvimento de negócio e na gestão dos clientes.Entrou para a HP Portugal em setembro de 2004, onde começou como Services Sales Manager, tornando-se mais tarde líder da equipa de vendas das Contas Corporativas e Sector Público no grupo da computação pessoal, tendo sido posteriormente nomeado Country Manager dessa unidade.Trabalha há mais de 20 anos na indústria de TI. No início da sua carreira desempenhou várias funções de consultoria, vendas e consolidou posições de gestão em multinacionais como a IBM, HP, HPE e agora, na nova DXC Technology. É Licenciado em Engenharia Informática e de Computadores pela Universidade Técnica de Lisboa e tem uma Pós-graduação em Gestão (MBA & Marketing).